O marketing e o turismo
18 de fevereiro de 2016
Como Barack Obama ganhou uma Eleição usando o Marketing Digital e o Big Data?
4 de junho de 2016
Exibir Tudo

Como você pode ser influenciado pelas redes sociais na próxima eleição.

Primeiro você irá receber um vídeo bem emocionante da vida daquele candidato no grupo de seu WhatsApp, depois um convite para curtir sua Fan Page, em seguida um convite para se inscrever no seu canal do Youtube ou para se cadastrar na feeds de seu site, e quer saber o que acontecerá depois? Bem, então continue lendo meu caro leitor e futuro eleitor.

O Brasil tem hoje mais de 82 milhões de usuários ativos na internet e estamos no topo do ranking quando falamos de acesso as redes sociais. Além disso, o número de usuários de computadores e smartphones cresce ano a ano – e  cada vez mais as pessoas se relacionam e tomam decisões baseadas em informações da rede.

As redes sociais pode até não definir seu voto, porém vão interferir diretamente na sua escolha, principalmente se aquele documentário de 2 minutos contando a vida do candidato de forma emocionante chegar na sua timeline do seu facebook dentro do smartphone. Afinal quem nunca recebeu? E acredite, mesmo quem não esta na rede, é influenciado por ela.

Hoje, na internet, você é uma série de números baseados que no você faz ou o que você procura na rede. E com isso você é controlado sem mesmo perceber. E mais, influenciado sem ter a noção disso. Do que eu estou falando? De quando você clica no link do Facebook ou procura algo de seu interesse no google e cai para um seleto grupo estatístico de quem se interessa por aquele tema, produto ou serviço.

Voce já ouviu falar na grande analise de dados (Big Data) que o presidente Obana usou na sua campanha politica de 2012?

Pois eh, eles sabem até o numero do seu telefone e quais os preditores negativos que fizeram você dizer porque não vai votar nele. Ai pegam seus assessores para mudar sua opinião levando uma solução para aquele problema que colheram na pesquisa na porta da sua casa. Bem, se isso esta longe de nossa realidade eu não sei. Mas que se um bom candidato souber usar esses dados e transferir isso para seu programa de governo e paras as redes sociais, ele já vai se dar bem.

Ah, você será candidato e não sabe por onde começar? Aqui vão seis passos básicos para ter sucesso em uma campanha eleitoral digital.

1 – Fazer uma pesquisa, análise e planejamento do seu nome na internet junto com seu devido diagnóstico.

2 – Organizar todas as redes sociais para receber o fluxo de aderentes e transformá-los em leads positivos para eleição.

4 – Executar as estratégias juntamente com a equipe de marketing dando a identidade da pré-campanha nas redes sociais.

5 – Geração de conteúdo para site (Search Engine Optimization), canal do Youtube (vídeos de ações, depoimentos e documentários), e-mail marketing (convites e acontecimentos) e redes sociais (engajamento e interação com o eleitor).

6- Monitorar e controlar o fluxo de engajamentos juntamente com uma boa gestão de crise quando houver.

Não basta ter um site e um perfil no facebook para dizer que você faz marketing político. É importante contar uma empresa que possa planejar e implementar as ações que possam trazer engajamento e consequentemente resultados eleitorais.

E o que interessa isso para você eleitor? Isso é a explicação passo a passo de como você será influenciado pelas redes sociais sem mesmo perceber. De forma planejada e organizada.

Antes de participar de uma campanha para o senado, onde desempenhei o papel de Social Media para um importante político em Brasília, fui entrevistado por um grande canal de comunicação mundial em 2013 e a pergunta foi: Como o google pode interferir nos resultados das eleições 2014 no Brasil?

E a resposta foi essa: “Sim, o Google tem força pra isso. Com suas sugestões de palavras-chave ou palavras mais buscadas poderá influenciar quem procura candidato A ou B. Pesquisas brasileiras mostram que 30% dos usuários consumem conteúdo de TV e internet simultaneamente e que 51% deles buscam o conteúdo imediatamente após o anuncio da TV. Então se o Google resolver manipular um determinado resultado favorecendo candidato A ou B em troca de lucros mediatos ou imediatos, isso poderá ser determinante para o resultado das eleições. Importante, portanto, que os candidatos e a justiça estejam atentos para possibilidade legais e ilegais que essa prática envolve”

Você free musically fans pode encontrar parte da entrevista em: https://jus.com.br/noticias/29651/como-o-google-pode-interferir-no-resultado-das-eleicoes-2014

E agora, passado 03 anos, algumas regras mudaram, principalmente no que concernem investimentos em campanhas eleitorais, porém a força dos buscadores e principalmente das redes sociais continuaram cada vez mais forte. Então quem tiver a melhor estratégia ganhará. E que comecem os jogos!

 

Angelo Percy, Revista VOX SA – 12ª Edição, 2016.

 

Os comentários estão encerrados.